Vanguarda seleciona estagiários

A Vanguarda abriu processo para selecionar estagiários em atendimento, mídia, redação, direção de arte, design gráfico e webdesign. Os selecionados terão contrato de estágio com a agência e a oportunidade de desenvolver a carreira na única agência exclusivamente de comunicação pública e marketing político do mercado paraense.

Leia as instruções abaixo e participe.

  1. Poderão participar acadêmicos regularmente matriculados nos cursos de graduação em instituições de ensino recomendadas pelo MEC.
  2. A divulgação dos resultados ocorrerá pelo blog da agência (www.blogdevanguarda.blogspot.com).
  3. O processo seletivo será conduzido pelos funcionários e consultores da Vanguarda, de acordo com critérios próprios e sem possibilidade de questionamento por parte dos participantes;
  4. O processo seletivo terá duas etapas: 1 – seleção de currículo e de portifólios; 2 – entrevista pessoal. Cada etapa será eliminatória.
  5. Os resultados do processo não serão divulgados, apenas os nomes dos selecionados;
  6. Os selecionados poderão ter um contrato de estágio com duração prevista de até 12 meses. Fica a critério da agência chamar ou não os selecionados, conforme disponibilidade de vagas e o interesse da empresa.
  7. Os selecionados contratados receberão bolsa-auxílio.
  8. Conforme legislação vigente, o contrato de estágio poderá ser rescindido por qualquer uma das partes, mediante carta-aviso, sem que isso implique em nenhuma penalidade, sanção ou necessidade de qualquer tipo de ressarcimento.
  9. O horário de estágio será de 8h30 às 12:30h ou das 13h30 às 17h30.
  10. Os currículos e portifólios devem ser enviados por email para vanguarda@vanguardapropaganda.com.br. Os candidatos deverão inscrever seus currículos e portifólios, informando a área de interesse no espaço destinado ao “assunto” (exemplo: “assunto: estágio_webdesign”), até o último dia útil de dezembro de 2007.
  11. O portifólio, para os casos em que for necessário apresentá-lo, deve ser gravado em PDF e/ou Flash e o currículo, com foto, digitado em Word ou processador de texto compatível.
  12. Os selecionados serão avisados por e-mail.
Anúncios

Contas

As Sociedades de Economia Mista e as Empresas Públicas com recursos próprios destinados à execução dos serviços objeto do Edital de concorrência para atendimento publicitário do Governo do Pará, celebrarão os respectivos contratos diretamente com as agências vencedoras, observada a ordem de classificação das empresas no certamente. De acordo com o resultado divulgado no Diário Oficial do Estado na manhã de hoje (28/11/2007), as contas e respectivas agências serão distribuídas na seguinte ordem:

Companhia Paraense de Turismo (Paratur) – Mendes
Banco do Estado do Pará (Banpará) – Vanguarda
Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) – Castilho
Companhia de Habitação do Pará (Cohab) – Fax
Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural – Double M
Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa) – Bastos
Empresa Pública Offir Loyola – Estratégia
Empresa de Navegação da Amazônia (Enasa) – CA

De acordo com o Edital, a Secom “demandará às agências licitadas o desenvolvimento de campanhas e demais serviços previstos no Edital conforme seu planejamento estratégico de mídia, independente da ordem de classificação das agências”.

Seleção

A Vanguarda Propaganda está entre as oito agências que trabalharão para o governo do Estado do Pará. O Diário Oficial do Estado de hoje confirma o nome das oito agências, ao mesmo tempo em que as convoca para a fase seguinte da Licitação, a apresentação da proposta de preço, chamada “Proposta Comercial”, que também será pontuada para a somatória final que classifica as agências. Vanguarda, Mendes, Castilho, Fax, Double M, Bastos, Estratégia e Ca foram as classificadas nessa fase. Aos desavisados é bom observar que essa licitação não foi feita com lotes de conta, ou seja, grupos de secretarias que serão atendidos a partir de uma certa classificação, como foi feito, por exemplo, pelo governo da Bahia. Aqui os grupos não existem e quem decidirá qual órgão será atendido por qual agência será a recém criada Secretaria de Comunicação – Secom. O que o Edital garante é somente o percentual mínimo de 10% da verba para ser autorizado por cada agência e o atendimento de Paratur, Banpará, Cosanpa, Iterpa e Cohab, dentre outros órgãos com recursos próprios.
A proposta da Vanguarda foi montada com base em uma análise não apenas publicitária, mas sociológica da questão agrária no Pará. Nossa proposta de preço levou em conta a necessidade de minimizar o dispêndio do Estado com o custo interno da agência.
A Vanguarda é a única agência especializada em comunicação pública do Estado e temos confiança extrema em nossa capacidade de integrar esse grupo de agências e emprestar ao governo do Pará o melhor de nossa capacidade técnica e de nosso compromisso militante.
Para nós, o jogo vai começar agora. E nós gostamos de ganhar.

A palavra de Valéria

“Caro Chiquinho,

Confesso que não sou de entrar em blogs. Até hoje estive apenas algumas vezes no Quinta, do boa-gente Juvêncio, sempre tão informado e preciso na mediação, mas não pude deixar de acompanhar a tua “sacada” da votação. É por isso que quero, primeiro, agradecer pela inclusão do meu nome, embora ainda esteja cedo pra decidir sobre a minha participação nas próximas eleições. Sinceramente nem sei se vou ser candidata. Segundo quero agradecer à todos que votaram em mim: amigos, militantes, aos que entraram na página dos Democratas e votaram, enfim, agradecer pela confiança dessas pessoas … Por fim quero deixar claro que a tua “sacada de mestre” como já disse acabou por desvirtuar a realidade das pesquisas. Todos sabem que hoje não pode um segundo turno sem aquele que aparece em primeiro lugar em todas as pesquisas que é o ex-prefeito Edmilson Rodrigues? Isso é fato. Então, se eu passar para o segundo turno,como mostram as últimas parciais, não vou me sentir a vontade já que seria um resultado diferente do que, como já disse, todas as pesquisas apontam. Apesar de disputar (segundo essas últimas parciais) com quem admiro, que é o Paulo Chaves, ser uma grande honra. Peço que você, só por esse motivo, tire o meu nome da possível disputa do segundo turno. Mais uma vez agradeço a oportunidade e parabenizo pelo teu trabalho, já que pra mim , questões políticas ou partidárias não impedem de reconhecer o trabalho inteligente e as boas práticas e idéias.
Grande abraço,
Valéria Pires Franco”

A enquete que abalou o mundo.. da política local

Duciomar Costa (PTB) 20 votos (1%)

Edmilson (PSOL) 327 votos (17%)

Mário Cardoso (PT) 89 votos (4%)

Valéria Pires (DEM) 648 votos (34%)
Paulo Chaves (PSDB) 807 votos (42%)

Total: 1891. Enquete encerrada.

Com 1.891 votantes (IPs únicos, ou seja, votos obtidos por 1891 diferentes computadores), fechamos oficialmente a enquete que mobilizou a cidade nos últimos cinco dias. Mais de 4 mil acessos no blog, que tem apenas poucos dias de existência, provam o sucesso da empreitada e a grande capacidade de agregação que o tema reserva. Com o resultado nominal, o arquiteto Paulo Chaves e a jornalista Valéria Pires Franco estariam disputando o segundo turno aqui no blog desde agora. Contudo, em correspondência enviada como comentário em um dos posts, a ex-vice governadora Valéria Pires Franco solicita que a simulação de segundo turno não seja efetivada, uma vez que todas as pesquisas realizadas colocam o ex-prefeito Edmilson Rodrigues na dianteira e que submeter-se a um processo de escolha onde disputassem ela e Paulo Chaves seria corroborar com uma “distorção”. “Peço que você , só por esse motivo, tire o meu nome da possível disputa do segundo turno [com Paulo Chaves]”, escreveu Valéria, educadamente. “Mais uma vez agradeço a oportunidade e parabenizo pelo teu trabalho”, concluiu. Não posso desrespeitar o pedido da pré-candidata dos Democratas, feito de maneira expressa e cortez. Assim, seguirei com novas enquetes, mas acatando a sugestão da ex-vice governadora, testarei Edmilson contra os demais candidatos a candidatos. Simultaneamente, para ver dentre os nomes que o PT tabula como possíveis candidatos, qual deles tem maior densidade dentro da legenda e disputaria essa fase, farei uma enquete específica listando os nomes de Suely, Mário Cardoso, Valdir Ganzer, Regina Barata e Edilson Moura.

Muito obrigado a todos.

Ananindeua renova

Mais cedo ou mais tarde, todos os negócios são confrontados com a necessidade de uma imagem mais atualizada – sob a pena de serem cada vez mais ultrapassados pela concorrência. Um aspecto inovador, um design mais eficaz, uma estética que comunica melhor com o público podem ser resultados de um simples redesenho de marca, ou seja, um movimento tático que preserva a estratégia do design original. Os especialistas chamam a isso de “recriação de imagem corporativa”, o maior desafio que um designer ou uma empresa de design pode enfrentar. A imagem antiga tem algum equilíbrio intrínseco que deve ser preservado? Até que ponto o cliente está disposto a correr o risco de adotar um redesenho que, por ventura, possa provocar um estranhamento com o público que já é alcançado por ela? Essas decisões tornam-se ainda mais dramáticas quando a logomarca em questão é utilizada por uma Prefeitura e está, diariamente, relacionada a centenas de milhares de pessoas que a reconhecem como mediadora entre o órgão público e o consumidor de serviços. A Prefeitura de Ananindeua encomendou uma atualização da marca, que foi realizada com a introdução de uma simples faixa inferior, que serve de base, onde pode-se agora ler, visivelmente, a palavra “prefeitura”, antes invisível no desenho que já vinha sendo usado desde 2005. A cor cítrica da faixa dialoga com o verde musgo e o azul real, já presentes, ao mesmo tempo em que jovializa, refresca, o desenho sem mudá-lo ou deformá-lo ou ferir a identidade básica. Um upgrade simples e que já pode ser visto nas ruas de Ananindeua, segundo município do Pará, cidade cujas divisas são indistintas daquelas que demarcam a capital do Estado, Belém. Com população estimada em 483 mil habitantes, Ananindeua é margeada pelo rio Maguari, onde localizam-se 14 ilhas. O nome da cidade, de origem tupi, deve-se a grande quantidade de uma espécie de árvore chamada Ananin, que produz a resina do cerol, utilizada para lacrar fendas nas embarcações. A cidade, originária de povoados da antiga Estrada de Ferro de Bragança, é administrada, desde 2004, pelo jovem prefeito Hélder Barbalho (PMDB), herdeiro político do ex-governador Jader Barbalho.

Guerrilha para principiantes

Por qual motivo se deve fazer marketing de guerrilha?

Primeiro de tudo, há um congestionamento cognitivo visível: há muita mídia e é sempre a mesma coisa. Há muito comercial de TV, outdoor, painéis, jornais, on-line, rádio, revista que as pessoas não prestam atenção. Na contra-mão, o marketing de guerrilha ajuda a criar uma experiência capaz de gerar atenção e envolver as pessoas. O público pode participar das ações e interagir. É uma forma de criar um diálogo, diferente de uma mensagem unilateral dos meios tradicionais.

Como a guerrilha pode envolver o público e como fazer isso?

A atenção deve ser voltada para você. Se todos gritam e você grita, seu grito vira parte do ruído do entorno. Fale baixo quando todos gritam. Assim você adquire a habilidade de criar uma experiência que as pessoas parem, olhem e se perguntem “o que é aquilo?”. Se você fizer isso por oito ou 10 horas, certamente terá falado para milhares de pessoas. Mas a mensagem tem que ser diferente, de acordo com as pessoas que estão neste lugar e que seja capaz de entretê-las. O problema da mídia tradicional é que ela não está mais entretendo as pessoas.

Quais são os principais cuidados que se deve tomar ao desenvolver esta estratégia?

A primeira coisa que deve ser pensada é o que você quer que aconteça. Se quero que as pessoas entrem no site da companhia, ou se lembrem da marca, se quero que comentem sobre algo, enfim, o que quero que aconteça no final de uma ação de guerrilha porque antes de criar a ação é preciso desenhar os elementos que vão gerar essas reações. Depois, precisamos saber o que vamos fazer, se vamos entreter as pessoas, se vamos fazer um vídeo, colocar fotos no Flicker. É cercar-se de garantias de que a experiência criada vai gerar o resultado esperado.

O que deve e que não se deve fazer em marketing de guerrilha?

Toda campanha é diferente. Depende da marca, que deve decidir o que ela quer da ação. A primeira coisa a se fazer é avaliar os riscos de cada caminho, de criar algo que não venha a se tornar negativo para a marca.

Como fazer para gerar o buzz marketing?

Marketing de guerrilha não funciona se não houver uma proteção, uma blindagem na marca. Por isso, a marca precisa ser honesta com as pessoas que desejam atingir, saber o que essas pessoas querem e quão interessante vai ser para elas interagir com a marca e depois criar algo que elas vão gostar. É preciso tornar essa relação uma relação de familiaridade, de proximidade. É preciso ter em mente também que as pessoas são diferentes e para cada uma delas é preciso criar uma experiência diferente. Você reage igual à presença de todas as pessoas, indistintamente? Não, para cada uma você tem atitudes que sirvam para delimitar sua relação com ela. O mesmo vale para sua marca.

Como investir no marketing de guerrilha?

Publicidade tradicional é imprescindível, mas se você investir um pouco de sua verba nas mídias alternativas o retorno será potencializado. A interação, por exemplo, será muito maior do que num comercial de TV, que é uma mídia de mão única. Então, o caminho seria não alocar toda a verba nos mecanismos tradicionais.

Como medir o retorno do investimento em guerrilha?

Depende da métrica que você utiliza. Pode ser quantas pessoas viram alguma ação, quantas pessoas falaram alguma coisa sobre ela, qual repercussão gerou na mídia, quantas recomendaram e quantas compraram. Outra forma de se mensurar é através das mídias sociais, quantos vídeos foram colocados no YouTube, quantas fotos no Flicker, entre outros. Mas há de se colocar tudo isso junto e calcular a relação de valor de cada ação de guerrilha, o que também depende da experiência promovida e da marca.

É possível usar guerrilha em marketing político?

Marketing político e guerrilha são gêmeos siameses. Desde sempre. Se você se prender a mídia tradicional em uma campanha eleitoral e esquecer os meios alternativos, você fará o seu orçamento de campanha estourar no primeiro mês. É preciso encontrar mecanismos de diálogo e de alcance para públicos diversos, com baixo custo, e a guerrilha é a ferramenta que possibilita esse movimento. Agora mesmo, aqui no Blog de Vanguarda, você vivenciou uma experiência de guerrilha que não custou um único real: a partir de uma enquete, geramos quase quatro mil visitas em menos de uma semana, com cerca de dois mil acessos únicos votantes na enquete, que gerou uma rede de comandos paralelos (buzz) que chamava para o blog e para a ação de votar. Isso popularizou o Blog e a consolidou a imagem da agência nesse público sem que para isso tenhamos feito nenhum anúncio pago em lugar algum. Guerrilha. Da melhor qualidade.

Repercussão

No Quinta Emenda, um dos principais blogs de política do Pará, mantido por Juvêncio Arruda, a partir de falas coladas ali como comentários em post acerca deste blog: “Os publicitários Chico Cavalcante e Orly Bezerra uniram-se para fabricar uma enquete. Há quem sugira que os dois montem uma chapa e disputem as eleições. Duciomar descobre que os internautas lhe odeiam. Mário Cardoso anda prá trás. Uma virada espetacular de tucanos e democratas suplanta o então pole position candidato do PSOL. Vic estaria sob efeito de hipertensivos. Paulo Chaves é só emoção, e já pensa em sua primeira coletiva se fechar no primeiro turno. São algumas reações e novidades da enquete do Blog de Vanguarda, que já contabiliza 883 votos e entra na reta final. Faltam 23 horas prá acabar a brincadeira que mais chamou atenção para serviços de comunicação política nos últimos tempos nessas bandas. Parabéns pro Chico e para todos os eleitores”.

Aos eleitores e ao Juvêncio, meu muito obrigado. Vocês colocaram gasolina no fogo (“em caso de incêndio, deixe queimar”, diziam os ativistas de esquerda alemães na década de 70). E aos que reclamam da enquete e sugerem fraude nos resultados ou manipulação tecnológica na coleta de votos, um consolo: ainda não é a eleição. Mas sem dúvida serviu ao propósito de mobilizar e agitar simpatizantes das principais agremiações políticas e, sobretuto, pautar as eleições. Afinal, votar é sempre bom. Aliás, ainda há tempo. Vote!

Canaã dos Carajás, a terra prometida

Canaã dos Carajás é uma cidade jovem. Muito jovem. Sua população estimada em 2006 era de 15.035 habitantes na area urbana, mas na verdade já habitam a cidade mais de 30 mil pessoas. O povoado que deu origem à cidade era um assentamento agrícola nos anos 80 do século XX, até que em 1997 o município foi criado, desmembrando-se de Parauapebas. Na Wikipedia, lê-se sobre Canaã dos Carajás que ali “a agricultura é tão forte que é comum ver nos núcleos urbanos do município a presença de pequenos roçados, hortas caseiras e escolares, destinados tanto ao consumo local, como também à merenda escolar”. Mas a população também tira da pecuária o seu sustento. Essa atividade vem crescendo na região, tanto para o grande como pequeno produtor. O rebanho de aproximadamente 25 mil cabeças vai quase todo para o corte e, em menor volume, para a produção de leite. A indústria madeireira também é expressiva na região, rica em certas espécies, como o mogno. Sem falar do comércio, que proporciona aos produtores a negociação de seus produtos. A cidade vem crescendo muito, o que faz também crescer a demanda por serviços. Canaã significa “terra prometida”. Não por acaso, há uma migração veloz de brasileiros vindos de outras regiões para o sul e sudeste do Estado, que é uma das bases da atividade extrativista da Companhia Vale do Rio Doce. O município possui minas de diamantes, bauxita, níquel vermelho, cobre e ouro. Desde o início de 2007 a Vanguarda atua em Canaã dos Carajás, atendendo a prefeitura local. Administrada pelo empresário Joseilton Ribita (PMDB), Canaã dos Carajás está passando por mudanças significativas e melhorias continuadas a partir de uma gestão participativa e inclusiva, com forte investimento em infra-estrutura, saúde e educação. Tendo recebido a cidade em profunda desordem administrativa e com endividamento que colocava em risco a sobrevivência da máquina pública municipal, Ribita arregaçou as mangas e fez por merecer o título de “prefeito trabalhador”, que lhe foi dado por populares. O anúncio que ilustra este post foi publicado nos jornais locais e nos de grande circulação, mostrando a ação de eletrificação e iluminação da cidade, que melhora a vida de todos e ajuda o município a crescer ainda mais.