Ananindeua renova

Mais cedo ou mais tarde, todos os negócios são confrontados com a necessidade de uma imagem mais atualizada – sob a pena de serem cada vez mais ultrapassados pela concorrência. Um aspecto inovador, um design mais eficaz, uma estética que comunica melhor com o público podem ser resultados de um simples redesenho de marca, ou seja, um movimento tático que preserva a estratégia do design original. Os especialistas chamam a isso de “recriação de imagem corporativa”, o maior desafio que um designer ou uma empresa de design pode enfrentar. A imagem antiga tem algum equilíbrio intrínseco que deve ser preservado? Até que ponto o cliente está disposto a correr o risco de adotar um redesenho que, por ventura, possa provocar um estranhamento com o público que já é alcançado por ela? Essas decisões tornam-se ainda mais dramáticas quando a logomarca em questão é utilizada por uma Prefeitura e está, diariamente, relacionada a centenas de milhares de pessoas que a reconhecem como mediadora entre o órgão público e o consumidor de serviços. A Prefeitura de Ananindeua encomendou uma atualização da marca, que foi realizada com a introdução de uma simples faixa inferior, que serve de base, onde pode-se agora ler, visivelmente, a palavra “prefeitura”, antes invisível no desenho que já vinha sendo usado desde 2005. A cor cítrica da faixa dialoga com o verde musgo e o azul real, já presentes, ao mesmo tempo em que jovializa, refresca, o desenho sem mudá-lo ou deformá-lo ou ferir a identidade básica. Um upgrade simples e que já pode ser visto nas ruas de Ananindeua, segundo município do Pará, cidade cujas divisas são indistintas daquelas que demarcam a capital do Estado, Belém. Com população estimada em 483 mil habitantes, Ananindeua é margeada pelo rio Maguari, onde localizam-se 14 ilhas. O nome da cidade, de origem tupi, deve-se a grande quantidade de uma espécie de árvore chamada Ananin, que produz a resina do cerol, utilizada para lacrar fendas nas embarcações. A cidade, originária de povoados da antiga Estrada de Ferro de Bragança, é administrada, desde 2004, pelo jovem prefeito Hélder Barbalho (PMDB), herdeiro político do ex-governador Jader Barbalho.

5 comentários

  1. Parabéns pela marca. Simples, impessoal e direta, sem aquelas frases de efeito e slogans pra lá de ultrapassados.
    Nota 10 !
    Vic

  2. Chico, parabéns pelo trabalho, pena que não pode colocar um faixa vermelha….., quem sabe em 2009.

    Newton Pereira

  3. Parabéns pela marca e pelo Post principalmete. É importante que tomemos conhecimento do que nossas agências estão produzindo e nada melhor do que ter fácil acesso a isso como por aqui.

    Grande abraço,
    Arthur

  4. Arthur e Newton, obrigado pela presença.
    A idéia é fazer desse espaço o espaço de nossos clientes, onde a amostra do trabalho possa, também, expor a excelência dos serviços e produtos que eles disponibilizam ao público.

    Grande abraço.

  5. Vic, grato pela análise da logomarca de Ananindeua. Nosso mérito nesse job foi preservar os traços gerais e criar uma base, onde destacassemos a palavra “prefeitura”, que precisa, em todas as logos de fantasia de administração, ter o devido destaque. Afinal, é assim que a população identifica o ente público que a atende. Como profissional, trabalho com logomarca de administração desde a década de 80 e tenho encomendas permanentes desse tipo de serviço, mas como cidadão, gostaria de vê-las abolidas. Se há um brasão do município ou do Estado, este deveria ser o símbolo a identificar a cidade ou o Estado, permanecendo o mesmo ad infinitum, impessoalizando a administração e criando um sentido de continuidade que levasse o cidadão a incorporar os benefícios que cada governo como investimentos públicos e não escolhas pessoais.

Os comentários estão desativados.