Vanguarda cria para PT nacional

Chico Cavalcante foi o diretor de criação e Vera Paoloni a editora de texto e coordenadora de produção dos quatro filmes da Vanguarda para o Partido dos Trabalhadores que irão ao ar em rede nacional no dia 15 de maio. As peças foram brifadas e posteriormente aprovadas por Gleber Neime, secretário de comunicação, e Ricardo Berzoini, presidente nacional da legenda.
É a primeira vez nos 28 anos de existência do PT que o partido, que hoje reúne mais de 1 milhão de filiados, realiza sua campanha nacional para o horário partidário com um criativo e uma agência de fora do eixo São Paulo-Salvador-Porto Alegre.
Com produção da Digital Filmes de Belém e co-produção da KiloFilmes, de Curitiba, os VTs mostram, literalmente, bandeiras historicamente associadas ao PT e que agora tornam-se realizações de governo, após a chegada de Lula ao Palácio do Planalto. Recortes de manchetes de jornal, com fotografia de Phernando Silva, complementam a informação dos VTs, que contam com atores que “assinam” as peças com o bordão: “eu sempre lutei por isso; agora dá gosto ver que as bandeiras do PT estão ajudando o Brasil inteiro a viver melhor”.
Em apresentações e textos, Chico Cavalcante vem criticando com veemência a idéia de que, no marketing político, a ênfase estruturante deva estar ao marketing (os mecanismos de regulação, posicionamento e inserção de produtos no mercado), restando à política um caráter meramente assessório. “É uma ignorância dizer que voto é marketing, o resto é política. É justamente o oposto. A política é a alma dessa atividade, o coração, a força e a imaginação do marketing político.”
Na campanha que apresentamos aqui fica plenamente configurado esse conceito. Desde 2002 o PT faz campanhas mostrando que o partido é beneficiário das ações do governo. Com isso, abriu-se o flanco para o discurso da incoerência, uma vez que a grande imprensa imputou ao PT uma mudança de postura e de visão de mundo que levou, inclusive, setores do partido a romperem com a legenda. O PT, diziam os detratores, “pregava uma coisa quando era oposição e agora faz o oposto como governo”.
“A campanha mostra que o governo responde às necessidades da população porque é coerente com as demandas que o PT vanguardeou a vida toda”, diz Cavalcante. “Realizações de governo, como a distribuição de renda, o crescimento econômico, a inclusão através da educação, o equilíbrio orçamentário-financeiro, a obtenção do grau de investimento internacional, entre tantas, honram as bandeiras que o PT sempre empunhou”. “E o que é isso, senão política?”, indaga.
A Vanguarda prova, na prática, que no reino do marketing político, o marketing é súdito, a política é rei. “Estamos no mercado de significados e não de produtos; transmitimos idéias e não transportamos coisas; a lógica de expor idéias, concepções e visões de mundo é completamente diversa do varejo de produtos inertes”.
Além dos filmes que compõem a campanha, 4 spots de rádio, criados por Cavalcante e produzidos pela KL Produções, de Belém, também irão ao ar.
Estão ainda em fase de pré-produção os programas de rádio e tv, com duração de 10 minutos cada, que serão exibidos no dia 05 de junho em horário nobre. Participação especial do presidente Lula, do presidente do PT, Ricardo Berzoini, das ministras Dilma Roussef e Marta Suplicy e da governadora Ana Júlia Carepa, entre outros.
Aqui, em primeira mão, um dos filmes da campanha. Para quem quer ver mais, o conjunto da obra pode ser ouvida e vista aqui: http://pt.klmultimidia.com.br/