É mídia pra cachorro…

Ler o Metro ou o Destak no metrô de São Paulo, Lisboa ou Madri tornou-se um hábito diário de quem vive nessas grandes cidades globais e utiliza quotidianamente os transportes públicos. O êxito das duas publicações desmente a idéia de que a maioria dos cidadãos e cidadãs estão afastados da leitura dos jornais. O êxito destes projectos tem muito a ver com a maneira como oferecem as notícias aos leitores “A informação é mais leve, concisa e resumida”, explica Francisco Pinto Barbosa, director do Destak. Por outro lado, estes jornais estão direcionados para “um público urbano, que já está habituado a procurar a informação na Internet e até no celular”, salienta Nuno Henrique Luz, que dirige o Metro. A única diferença destes diários relativamente aos jornais tradicionais é o fato de a sua distribuição ser gratuita, dado que os dois projetos vivem exclusivamente da publicidade. No que diz respeito ao conteúdo editorial, estes jornais são iguais aos outros diários generalistas têm notícias locais, nacionais, internacionais, desportivas, culturais e de lazer. Existe, igualmente, um espaço dedicado à opinião. A forma de apresentar essas notícias é que é diferente “É idêntica à de um site da Internet, quer no grafismo quer na interatividade com o leitor”, refere Francisco Pinto Barbosa. O Metro e o Destak conseguiram captar o interesse dos chamados não-leitores, nomeadamente das mulheres. Segundo o diretor do Metro, 53 por cento dos leitores do jornal são do sexo feminino e 47 por cento do sexo masculino. A Metro Internacional tem também parcerias com a CNN e a BBC. O jornal Metro é, presentemente, o mais lido em todo o mundo 15 milhões de leitores diários. Em Portugal, o diário tem uma tiragem de 125 mil exemplares. Em Belém, recentemente, surgiu o primeiro jornal gratuito, o Livre, que já é distribuído em diversos pontos da cidade. Como mídia, o jornal pode ter um uso tão dinâmico e criativo como de qualquer mídia. Veja o excelente anúncio criado pela agência TBWA de São Paulo para a marca de rações caninas Pedigree, pertencente a empresa estadunidense Mars. Aproveitando o Dia do Amigo, utilizou uma sobre-capa do jornal Destak, com distribuição gratuita na cidade de São Paulo, para escrevê-la em suposta “língua canina” – todas as notícias, títulos e legenda em “au-au”. Se o melhor amigo do homem é ou não o cão, este é sempre um debate. Mas o melhor amigo da publicidade, em qualquer mídia, é a criatividade, inquestionavelmente.

4 comentários

  1. au,au, Chico… rsrs

    Para fazer a globalização funcionar tudo vale!

    Ô invenção diabólica, nao é mesmo?Expansão da economia de mercado…viu como aprendo rápido? À propósito, vc vai fazer enquete sobre o assunto?

    Beijinhos.

  2. Cris, au, au… boa tarde! Sua sugestão sobre a enquete com o tema “globalização” é interessante, mas talvez no CM; por aqui vou ficar com temas menos densos e de cunho mais imediatista, como a avaliação da administração do atual alcaide.

    Beijinhos pra vc também.

  3. Oi Chico, perdoa-me.

    Levei “Guerrilha para principiantes” para o blog.

    Beijos.

  4. Cris,

    esteja à vontade. A casa é sua…

Os comentários estão desativados.